Anterior

Aplicativo – Próteses Valvares

R$ 350.00

PRÓTESES VALVARES

Importante informações para a base de um estudo ecocardiográfico, onde conceitos já estabelecidos são revistos e demonstrados como são falhos e muitos são, na realidade, nada mais que preconceitos sem nenhuma base científica. Nenhum ecocardiografista profissional consciente pode desconhecer. Mude drasticamente o seu modo de conceber a ecocardiografia.

Clique em qualquer tema abaixo para saber detalhes e ver o filme da AULA correspondente.

  Retornar menu AQUI

 

Próteses: Considerações Iniciais
Início do estudo das próteses. Tipos de próteses. Movimento paradoxal do SIV pós-operatório. Gradientes normais e anormais. Área. T1/2. Equação da Continuidade.
Tipo STARR-EDWARDS
Analisaremos as próteses normais de gaiolas com bolas tipo Starr-Edwards.

Tipo Disco Pivotante Único.
Analisaremos as próteses normais mecânicas: disco único.

[/video]
Tipo Disco Duplo.
Analisaremos as próteses normais mecânicas: disco duplo.

Próteses Biológicas Normais.
Aspecto ecocardiográfico, bidimencional, Doppler e transesofágico de próteses biológicas normais.

Próteses Aórticas com Implante Transcateter e Cirurgias Reconstrutivas da Mitral.
Prótese aórtica CoreValve com implante transcateter. Avaliação do resultado cirúrgico de reconstrução da valva mitral, Anel de Carpentier.

DISFUNÇÕES PROTÉTICAS

Disfunções Protéticas: Considerações Iniciais.
Considerações iniciais em relação às disfunções protéticas. Regurgitações. Gradientes.
PANNUS vs TROMBO vs VEGETAÇÃO
Diagnóstico diferencial entre de Pannus, trombo e vegetação de endocardite. Não é fácil.
Regurgitações Protéticas Biológicas
Disfunções causadas por rotura ou calcificações de próteses biológicas

Regurgitações Protéticas e Periprotéticas.
Disfunções causadas por trombos, pannus, endocardite e deiscências de suturas em próteses biológicas e mecânicas.
Disfunção Protética Estenose: Calcificação e Pannus
Estenose das próteses, como diagnosticar: calcificação, pannus.
Disfunção Protética Estenose: Mismatch
Estenose das próteses, como diagnosticar: Mismatch.

Disfunção Protética: Obstrução e lesão da VSVE
Obstrução da via de saída do VE. Lesão do SIV.

Disfunção Protética: Aneurisma Sub Valvar Mitral
Aneurisma subvalvar mitral pós operatório.

COMO FAÇO: PRÓTESES

Como Faço Trombólise para o Tratamento de Trombo em Prótese: Utilidade da Ecocardiografia
Qual a situação ideal para trombólise. Como diferenciar de pannus fibrosus?
Em uma prótese biológica mitral: trombo, pannus ou vegetação?
Veja a diferença. Lembrem-se: nem sempre é fácil! E o que existe na auriculeta esquerda?
Um caso de endocardite em uma prótese biológica
Vejam como é diferente o trombo do exame anterior e a vegetação deste exame.
TAVI. CoreValve. Massa no AE. Trombo ou Mixoma?
Eco 2D e transesofágico não resolveram o problema. Eco 3D transtorácico no caso foi essencial.

GUIDELINES

Guidelines
Importantes guidelines sobre o assunto.

 

LIVRO “ECOCARDIOGRAFIA UNI-BIDIMENSIONAL  TRANSESOFÁGICA E DOPPLER”.

Fernando Morcerf. Segunda Edição. 1996. Editora Revinter

LIVRE PARA DOWNLOAD

Capítulo 12 – Valvas Protéticas

 

  Retornar menu AQUI

Detalhes do Curso

  • Leituras 11
  • Quizzes 0
  • Duração 2 h 46 min
  • Nível de Habilidade Todos os níveis
  • Linguagem Português
  • Alunos 12
  • Critérios de avaliação Sim

Presidente do Primeiro Congresso de Ecocardiografia do Departamento de Imagem Cardiovascular da Sociedade Brasileira de Cardiologia.
Segundo Presidente do Departamento de Imagem Cardiovascular da Sociedade Brasileira de Cardiologia., hoje DIC.
Professor de Ecocardiografia em cursos de inicialização e de especialização em ECOCARDIOGRAFIA da ECOR desde 1976 com mais de 200 turmas.

Formado na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Março de 1965 a Dezembro de 1970).
Pós-Graduação em Evanston Hospital da Northwestern University. Chicago, Illinois, USA, no período de Julho de 1971 a Junho de 1972.
Residente em Medicina Interna na Cleveland Clinic Foundation, Cleveland, Ohio, USA, no período a Julho de 1972 a Junho de 1973.
Fellowship em Cardiologia na Cleveland Clinic Foundation, Cleveland, Ohio, USA, no período de Julho de 1973 a Junho de 1975.
Ex-professor Curso de Pós Graduação em Cardiologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Ex-professor do Instituto de Pós Graduação Médica do Rio de Janeiro
Diretor do Serviço de Ecocardiografia da ECOR Ecocardiografia.
Professor do Curso de Ecocardiografia da Escola Brasileira de Ecocardiografia com mais de 2.500 ex-alunos em cursos presenciais.
Professor exclusivo dos Cursos Online da ECOR.